IPE

Instituto de Pesquisas Ecológicas

OnçaHá alguns milhares de anos, a exuberância da flora e da fauna da América do Sul tem sido o lar de uma das espécies mais marcantes da natureza: a onça-pintada. Apesar de alguns exemplares sobreviverem, o crescimento das cidades e a expansão das áreas dedicadas à agricultura mudou as características de seu habitat e são ambientes cada vez menos adequados para este predador, que se extinguiu em várias regiões.

Jeferson MarquesDia 19 de novembro aconteceu a nona edição do Ecoswim, um evento que combina esporte e meio ambiente. Parte das inscrições para essa competição de natação é revertido para o IPÊ, em prol da Mata Atlântica. Em 2016, a arrecadação será destinada ao viveiro de mudas nativas, em Nazaré Paulista, mantido pelo Instituto. Além de ser berço para novas árvores plantadas em áreas de influência do Sistema Cantareira, o espaço é utilizado para educação ambiental de alunos de escolas públicas locais.

Dias 23 e 24 de novembro, o IPÊ realiza em Teodoro Sampaio (SP), Pontal do Paranapanema a “Mostra Fotográfica & Trabalhos Escolares sobre biodiversidade e sustentabilidade socioambiental”. A exposição é parte final de um processo de capacitação de professores do ensino fundamental em Educação Ambiental e conta com a parceria do Parque Estadual Morro do Diabo (PEMD)/ Fundação Florestal, do Departamento Municipal de Educação de Teodoro Sampaio e da Estação Ecológica Mico-Leão-Preto (ICMBio).

Nina Valentini, diretora-executiva do Instituto Arredondar, parceiro do IPÊ, levou o Prêmio Folha de Empreendedor Social, na categoria jovem empreendedor. Nina foi reconhecida pelo seu trabalho frente à organização que trabalha com sistema de microdoações: o cliente de um estabelecimento doa alguns centavos, ou seja, "arredonda" a conta, quando vai finalizar uma compra. De centavo, em centavo, o recurso já se reverteu em alguns milhares de reais para projetos de instituições sociais e ambientais sem fins lucrativos, que atuam em causas relacionadas aos Objetivos do Milênio. Só em 2015, 21 lojas participaram, apoiando 16 instituições e arrecadando R$164.796,99 ao todo.

queloniosUniniJau5No Amazonas, as comunidades da Reserva Extrativista (Resex) do Rio Unini e do Parque Nacional (Parna) Jaú aproveitam a chegada da estação seca na região para monitorar e estudar a ecologia reprodutiva de quatro espécies de quelônios aquáticos desta região do Baixo Rio Negro: a tartaruga-da-amazônia (Podocnemis expansa), o tracajá (Podocnemis unifilis), a irapuca (Podocnemis erythrocephala) e a iaçá (Podocnemis sextuberculata). O monitoramento começou no mês de setembro, período de desova dos quelônios e vai até o nascimento dos filhotes em dezembro.